Ozzy Osbourne entra para lista de celebridades de Hollywood que ameaçaram deixar os EUA

ozzy-osbourne-joins-list-of-hollywood-celebs-who-threatened-to-leave-the-us

Ozzy Osbourne ganhou as manchetes após declarar corajosamente em uma entrevista recente que ele e sua esposa Sharon deixariam os Estados Unidos devido ao aumento da violência e dos tiroteios em massa.

Em entrevista ao The Guardian, o roqueiro do Black Sabbath destruiu o país. “Tudo é ridículo lá”, comentou. “Estou farto de pessoas serem mortas diariamente. Deus sabe quantas pessoas foram baleadas em tiroteios em escolas. E houve aquele tiroteio em massa em Las Vegas naquele show… É uma loucura.”

Em julho, ele e Sharon anunciaram sua mansão de US$ 18 milhões em Los Angeles. O músico, que nasceu em Birmingham, na Inglaterra, também disse: “Eu não quero morrer na América… eu sou inglês. Eu quero estar de volta.”

Resta saber se Osbourne manterá sua palavra, mas ele está longe de ser a única celebridade a declarar publicamente que deixará os Estados Unidos.

Na virada do novo milênio, o vocalista do Pearl Jam, Eddie Vedder, disse que deixaria o país se George W. Bush foi eleito presidente em 2000. “Tenho medo de pensar em um republicano no cargo, especialmente um criado por um pai que estava na CIA”, ele teria dito ao USA Today em 2000. “Estou me mudando para um país diferente se o pequeno Damien II for eleito.” Eventualmente, Bush se tornou o 43º presidente dos Estados Unidos, enquanto Vedder permaneceu na América.

Barbra Streisand, uma democrata franca, também compartilhou a intenção de Vedder de desocupar o país se Bush for eleito. “Acho que você não me verá por aqui por pelo menos quatro anos”, disse ela à revista People na época. Streisand acabou ficando.

Em 2008, a corrida presidencial entre Barack Obama e John McCain também deixou as celebridades empolgadas. A estrela do R&B Akon declarou que deixaria o país se McCain fosse eleito.

“Se [Obama] não assumir o cargo, vou mudar minha cidadania”, disse o cantor – que nasceu no Senegal, mas tem cidadania americana – ao Guardian na época. “Estou voltando para a África. Você pode me obrigar a isso. Tenho medo de morar lá se [McCain] for presidente.”

O músico vencedor do Grammy, Seal, compartilhou os sentimentos de Akon. “Se McCain for eleito e os Estados Unidos cambalearem para o abismo, então deixaremos o país”, disse ele à Vanity Fair em 2008.

Por outro lado, estrelas como Stephen Baldwin disseram que fugiriam do país se Obama fosse eleito. “Eu só quero dizer agora que é oficial, se Barack for indicado, eu vou sair do país”, disse ele à Fox News na época. Baldwin posteriormente permaneceu nos EUA depois que Obama foi eleito o 44º presidente dos Estados Unidos.

A eleição de Donald Trump em 2016 trouxe uma série de celebridades à tona das conversas depois que elas também disseram que deixariam o país se ele fosse eleito. “Se ele não pensa que é ‘Deus’, ele pensa que é o escolhido ou alguma merda!” A cantora pop Miley Cyrus escreveu em seu Instagram em 2016. Pingando geleia entre seus ricos dedos dos pés. Honestamente, foda-se essa merda, estou me mudando se este for meu presidente! Eu não digo coisas que não quero dizer!”

O ícone da música Cher usou sua conta no Twitter na época para anunciar que se mudaria para muito, muito longe se Trump vencesse – para outro planeta, para ser mais preciso. “Se ele for eleito, vou me mudar para Júpiter,”, escreveu a estrela.